quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Perspectivas


A instabilidade demarca-me. Demarca cada linha, cada traço que desorientada me vai percorrendo e penetrando mais e mais. Eu sinto e deixo-me consumir não abrindo caminho a novas sensações, excitações, corropios de adrenalina, e isto, e aquilo, um pouco mais disto e mais um golo daquilo que me daria gozo tomar. Fixo-me nesta ideia e deixo o medo de arriscar comandar-me totalmente, possuir-me e tomar conta de mim, e eu, propositadamente impotente vagueio-me queixosa de uma maleita que vê a cura bem de perto…

9 comentários:

  1. Muito obrigado ;)
    Tipo, não tenho postado muito porque não tenho inspiração, logo prefiro deixar aquilo um pouco em suspenso e depois volto a escrever:)
    Eu também adoro o teu blog !!
    Adriana, certo?

    ResponderEliminar
  2. acho que é mesmo disso que estou a precisar. muito obrigada (:
    gostei muito do texto*

    ResponderEliminar
  3. ohoh, era mesmo Adriana :) uma prolongação de férias :D

    adorei o texto ^^
    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigada (:
    Gostei muito do texto!
    Há certas coisas que devemos fazer, ignorando o medo de arriscar e posteriormente, perder. Às vezes temos mesmo de fechar os olhos à nossa insegurança e deixarmo-nos levar pelo sabor da vida e da aventura que ela significa.

    ResponderEliminar
  5. Adorei o teu blog :)
    sigo-te, faz o mesmo se quiseres :b

    ResponderEliminar

Sinceridade e transparência... Sejam bem vindas :)