terça-feira, 27 de abril de 2010



Desassossego...

No teu rosto, o meu desespero, nos teus olhos, o meu espelho disforme. Sabemos ambos que não há paixão sem mistério. Cobre-me com ele. Usa a tua máscara para me dizeres que sim, Porque eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto. Dá-me as mãos. Elas tremem-se-me à possibilidade de as tocares.

Escreve-me de ti, contigo ao lado. És incêndio, e lava, e piroclasto e cinza do que me hás-de queimar e fumo de fumo que ardeu e vapor de chuva em plena queda.

És tanto e eu só escrevo….

1 comentário:

  1. Percebo muito bem a última frase. Era algo que também escreveria (:

    ResponderEliminar

Sinceridade e transparência... Sejam bem vindas :)